Esse é um desses lugares que você passa na frente todos os dias mas nunca entra por alguma razão. 

Você vai no Jervis, vê aquele bondinho, fica curioso, mas não entra. Ele está no coração da cidade, mas a movimentação ao redor, digamos, é meio esquisita e afasta muita gente.

Se essa belezura fosse em Dublin 2, com certeza teria fila na porta. Acabei lá por falta de opção no feriado, já que todos os lugares que eu pensei em ir estavam fechados – e eu já estava morta de fome! 

Graças aos Deuses nós chegamos.

Nós fizemos um reconhecimento do local e resolvemos sentar na parte interna, que inclusive nem parece que existe, até você olhar bem pro lugar.

Ao entrar, a sensação é de ser transportado no tempo e espaço. A atmosfera é de um café parisiense dos anos 20, com músicas da época tocando e a decoração simples, mas autêntica, como tudo nesse Café.

No menu, itens de café da manhã, ‘brunch’ e sanduíches. Os garçons são super simpáticos e inclusive um deles é brasileiro.

Nos pedimos o ‘scrambled eggs’ e bacon e um ‘brunch’ especial que consistia de ‘French toast‘ feito com pão de brioche, acompanhado de uma coisa que parecia um sorvete de banana mas na verdade era queijo Marscapone com banana e ‘dates’.

Processed with VSCO with c1 preset

Delícia! Comida simples, despretenciosa, sem frescura, sem nomes elaborados, sem encher linguiça. Comida boa, bom atendimento e pronto. E precisa mais?

O The Tram Cafe foi uma grande descoberta em Dublin, um ótimo lugar pra tomar café e começar o final de semana ‘feeling good’. Super recomendo.